Vanguardas: Realismo

Na metade do século XIX, ou 2ª fase de Revolução Industrial, as linhas de pensamento que figuravam eram essencialmente: o positivismo (cientificismo), o determinismo (em se tratando da análise do comportamento humano, no qual acreditava-se que este era pré-determinado por uma combinação de raça-ambiente-momento) e o evolucionismo (já que em 1859 havia sido publicado ‘A... Continue lendo →

Incerteza Viva

A exposição, que começou a ser planejada em Janeiro de 2015, partiu de um projeto inicialmente proposto por Jochen Volz com o título de ‘Medidas da Incerteza’, com o intuito de compreender o cenário incerto que vivemos e como quantificar essa instabilidade, bem como compreender como a arte contemporânea viabiliza a compreensão e existência das... Continue lendo →

Vanguardas: Romantismo

O Neoclássico nasceu a partir da Revolução Francesa, da Revolução Industrial e do Iluminismo e as consequentes mudanças que esses movimentos provocaram na estruturação social da Europa nos séculos XVII/XVIII, faz necessário resgatar o conceito que este propõe para compreender o surgimento do Romantismo. O Neoclássico trazia o referencial grego de equilíbrio, simetria e harmonia,... Continue lendo →

Vanguardas: Neoclassicismo

Para compreender o surgimento de uma vertente artística é necessário analisar o contexto histórico e os antecedentes que demandam uma ruptura com o modelo vigente, aqui vemos como o Rococó deu lugar ao Neoclassicismo.

A tecnologia teve um impacto monumental em todas as nossas vidas e em todos os setores. No entanto, não teve um impacto tão grande no mundo da arte quanto pode, devido à falta de plataformas para discussão. Aqui pensamos a contextualização e colocação da arte frente ao mercado.

Aqui foi possível explorar um pouco do universo multifacetado da artista Hilma af Klint e observar como ela constroi suas obras a partir de pontos de vista diferentes porém complementares.

Uma breve análise da obra da artista contemporânea brasileira Regina Silveira a partir da obra A Lâmpada nos permite mergulhar no universo dual e simbiótico da artista.

Unbalanced: as coisas como elas são

Como os paralelos entre arte e significância passeiam por uma série de pontualidades previamente estabelecidas estamos sempre sob a impressão de que simetria ou balanço é uma máxima no resultado de qualquer ação que tomamos. Uma coleção de ‘vai ficar ficar tudo bem’ permeia a história da humanidade e atingindo esse ponto, o agora, é... Continue lendo →

Dry Bone Valley: uma análise

 O CONCEITO DE ARTE Gombrich inicia seu texto com a seguinte afirmação “Uma coisa que realmente não existe é aquilo que se chama de arte. Existem somente artistas.”. De fato, a definição de tal termo pode ser conturbada a partir do momento que existem variações de obras - sejam elas pinturas (rupestres ou modernas), esculturas,... Continue lendo →

Brillo Box: Uma ruptura na história da arte

O artista: Andy Warhol Andy Warhol foi um dos artistas mais influentes da segunda metade do século 20, criando algumas das imagens mais reconhecidas já produzidas. Desafiando as visões idealistas e as emoções pessoais transmitidas pela abstração, Warhol abraçou a cultura popular e os processos comerciais para produzir trabalhos que atraíam o público em geral.... Continue lendo →

LARTIGUE

Consagrado por suas fotografias em preto e branco, o fotógrafo francês Lartigue tem exposição dedicada a seu trabalho em cores.

RICHARD PRINCE: INSTAGRAM E ARTE

As mídias sociais vêm sendo cada vez mais utilizadas para veiculação de conteúdo artístico. Richard prince inovou e criou uma exposição só com fotos do instagram, com um detalhe, com fotos de outros usuários.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑