O demonologista

Uma suposta homenagem e talvez inspiração em Paraiso Perdido, o demonologista descobre as vertentes de um Satã romantizado, não que isso tenha um problema, tudo é uma questão de gosto.
Com referências diretas que guiam toda a obra, o autor traz o Paradise Lost como um guia para sua busca. O livro do pré-romancista Milton, escrito no século XVI, é uma das obras mais icônicas da literatura pois pela primeira vez na história da humanidade dava-se voz a Lúcifer.

milton.jpg

Para aqueles que não sabem a Bíblia não contempla a história da queda de Lúcifer do céu, neste livro Milton explora os ângulos da transformação de Lúcifer em Satã, como passa a ser nomeado quando cai do céu, e conta a tragetoria que transformou o anjo e corrompeu a pureza da humanidade.

Noite Eterna – Parte I

Com um início promissor e diga-se de passagem extremamente bem escrito, Pyper faz com que você se envolva na história.Um professor universitário apaixonado por Milton e ateu tem como seu principal objeto de estudo a obra do seu autor favorito.

downloadCom um tom misterioso o autor vai trazendo algumas variáveis que irão compor a trama de um jeito que reflete uma literatura um pouco adolescente, meio como acontece em Crepúsculo, de Stephenie Meyer, mas como há uma boa amarração na trama ela te instiga a continuar.
Não é um livro que se deva buscar se você procurar alguma coisa mais densa em se tratando do assunto principal, demônios. A leitura segue de forma leve e mas sempre sem trazer uma densidade maior.

 

 

O Lago em Chamas – Parte II

No desenrolar temos aqui um pouco de drama, sem mistérios, drama literal, uma amiga com câncer, uma filha raptada, um perseguidor que representa a igreja e constantes lembranças de infância que trazem à tona a morte de seu irmão. O professor fica em constante papel de transformar e justificar as aparições do demônio para si mesmo, numa quest de transformar todas as pistas sem sentido que ele deixa para construir um enredo, que vendo de longe agora não posso dizer que fez algum sentido.

300px-BelialJustificar uma série de ações através da relação das mesmas com o mundo não é uma tarefa exatamente difícil mas é preciso que elas construam um sentido entre si ou culminem em algum propósito quando escrevemos uma história, a busca de sentido é intrínseca ao leitor e ao ler a obra de Pyper tudo que encontrei foram citações escolhidas a dedo do livro de Milton e um personagem principal sem carisma suficiente para levar qualquer missão em frente.

Os assuntos delicados abordados pelo autor tomam o segundo plano da obra, o primeiro se dedica totalmente ao quebra cabeças construído pela demônio a ser desvendado pelo professor, e como num filme de super herói ele faz leituras inimagináveis através desses excertos que podem ser analisados em inúmeras óticas.
Bem, prosseguimos para o fim.

Através do Edém – Parte III

O fim é claro, desde o início é óbvio que o professor encontrará sua filha, e que para isso terá que superar todos os testes antidivinos. Bem, num fim que apressa a narrativa, que já é em si corrida, corrida porque relata uma série de fatos em sequência que não são justificáveis, que acontecem sobrepostos e com uma linha do tempo apertada – já que de acordo com o demônio existe um deadline para que o professor complete sua saga.
Chegamos no último capítulo apenas para confirmar o que já esperamos, que ele acha sua filha. Nesse ponto a narrativa em si já não construía significado algum para mim, em uma análise totalmente pessoal e nada literária-científica eu coloco que o livro aborda um tema que me interessa como leitora e conseguiu ao mesmo tempo me entediar a ponto de querer terminá-lo pelo bom costume de não deixar um livro em aberto.
GwCjWbXATerminei, com a sensação de que leria um outro algo proposto por esse autor mas que ele não entregou algo que cumprisse o papel ao qual se propôs.

Mais uma vez, a edição e tradução foram trabalhos primorosos, assim como o escrito original, um texto com fluência o que não quer dizer que ele possui o que precisa.

Vale lembrar sempre que uma review e uma opinião não são guias, sempre sugiro você dar aquela olhada e assim dizer se concorda ou discorda do sugerido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: