Vanguardas: Realismo

Na metade do século XIX, ou 2ª fase de Revolução Industrial, as linhas de pensamento que figuravam eram essencialmente: o positivismo (cientificismo), o determinismo (em se tratando da análise do comportamento humano, no qual acreditava-se que este era pré-determinado por uma combinação de raça-ambiente-momento) e o evolucionismo (já que em 1859 havia sido publicado ‘A... Continue lendo →

Incerteza Viva

A exposição, que começou a ser planejada em Janeiro de 2015, partiu de um projeto inicialmente proposto por Jochen Volz com o título de ‘Medidas da Incerteza’, com o intuito de compreender o cenário incerto que vivemos e como quantificar essa instabilidade, bem como compreender como a arte contemporânea viabiliza a compreensão e existência das... Continue lendo →

Vanguardas: Romantismo

O Neoclássico nasceu a partir da Revolução Francesa, da Revolução Industrial e do Iluminismo e as consequentes mudanças que esses movimentos provocaram na estruturação social da Europa nos séculos XVII/XVIII, faz necessário resgatar o conceito que este propõe para compreender o surgimento do Romantismo. O Neoclássico trazia o referencial grego de equilíbrio, simetria e harmonia,... Continue lendo →

O Egito Antigo e a vida após a morte

A história de Deus, documentário produzido pela National Geographic com apresentação de Morgan Freeman, é uma série que nos traz questionamentos pontuais e recorrentes sobre a condição humana, sobre Deus e suas ramificações que perpassam o entendimento do que há após a morte, apocalipse, fé e crenças em geral. Como muito bem organizado, a série documental... Continue lendo →

Vanguardas: Neoclassicismo

Para compreender o surgimento de uma vertente artística é necessário analisar o contexto histórico e os antecedentes que demandam uma ruptura com o modelo vigente, aqui vemos como o Rococó deu lugar ao Neoclassicismo.

A tecnologia teve um impacto monumental em todas as nossas vidas e em todos os setores. No entanto, não teve um impacto tão grande no mundo da arte quanto pode, devido à falta de plataformas para discussão. Aqui pensamos a contextualização e colocação da arte frente ao mercado.

Aqui foi possível explorar um pouco do universo multifacetado da artista Hilma af Klint e observar como ela constroi suas obras a partir de pontos de vista diferentes porém complementares.

Uma breve análise da obra da artista contemporânea brasileira Regina Silveira a partir da obra A Lâmpada nos permite mergulhar no universo dual e simbiótico da artista.

Antropofagia ou homeostase

É curioso ou preocupante analisar como o Manifesto Antropófago é uma obra que poderia estar sendo escrita agora mas ainda não foi ao todo compreendida, muito menos por todos. A dicotomia de ideias, sejam elas do cunho que for, político-social-econômico, afasta as pessoas do entendimento de ‘ser humano’. Na necessidade de lembrar que o conceito... Continue lendo →

O demonologista

Uma suposta homenagem e talvez inspiração em Paraiso Perdido, o demonologista descobre as vertentes de um Satã romantizado, não que isso tenha um problema, tudo é uma questão de gosto. Com referências diretas que guiam toda a obra, o autor traz o Paradise Lost como um guia para sua busca. O livro do pré-romancista Milton,... Continue lendo →

{off} void

Uma equação cientificamente desequilibrada nutre o que acontece dentro da minha cabeça diariamente, parte dela é resultado de um grande esforço diário que preciso construir durante o percurso, e isso se resume em 'sobre como eu vou lidar com o que acontece' naquele dia. A outra parte, que eu diria que é a maior, é... Continue lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑